não sirvo nessa roupa de amar

sempre me senti como se o amor não me coubesse
igual roupa sabe
VUSHHHH
FLASHBACK MODE ON
me lembro da minha mãe quando era pequeno falando pra eu usar uma outra roupa
dizia que eu não precisa ter um estilo so
que eu podia ter todos os estilos e me vestir a cada lugar e a cada momento com um estilo.
e eu, na minha cabeça mediocre (simploria, tá, a gente já discutiu isso) querendo so vestir.
pra mim, desde sempre a roupa não teve muitos significados.
ela serve pra vestir.
serve
servir, caber, vestir.
VUSHHHHH
FLASHBACK MODE OFF
quando me apaixonei pela Érica, a menina do sorriso lindo, meio hippie e alternativa, achei que deveria virar também, mas não cabia naquele mundo.
senti como se aquele amor não fosse pra mim
e apesar de sentir
nao quis me encaixar.
quando me apaixonei pela Michelle, a alternativa, inkedgirl, achei que era punk.
a Shantall me fez achar que eu era cool, descolado, anarquista e desajustado.
a Luana me fez sentir um esportista
a Maria…
a Maria me fez sentir vivo.
mas nenhum desses amores me definia.
eu me fiz parecido como cada pessoa que eu me apaixonei
e tentei me encaixar pra existir em um mundo em que eu nao era.
eu
sou tantos
quem me conhece sabe
ou nao sabe
e quando sabe estranha
e quem sabe acha estranho
pelo menos eu acho
mas é isso
eu sou muitos.
e eu não me encaixo.
pq eu to sempre desconfortavel dentro da minha propria pele.

tá dona terapeuta não precisa levantar as sobrancelhas, eu já entendi

talvez eu seja descorfortavel comigo mesmo
e não consigo me sentir confortavel onde quer que eu vá,
ou onde esteja,
ou quem quem eu esteja.
talvez na verdade não seja a etiqueta da roupa que me incomoda
mas a minha pele é sensivel demais pra qualquer coisa.
eu me sinto descortavel nú e vestido.
eu me sinto dentro dessa caixa craniana balançado membros superiores por ai, tocando coisas, enviando sinais eletricos capturadas pelos meus bastonetes atraves das minhas pupulas e enviadas atraves do meu nervo otico pra que ela geleia rosada crie conexoes neurais e de significados confusos sobre as coisas.

a minha terapeuta diria que eu to fugindo, eu diria que ela tá certa

eu nao quero me vestir hoje
nem amanha
nem nunca
eu
não sirvo nessa roupa de amar

— aqueleseuamigo
instagram: @daqueleseuamigo

ano passado eu fugi…

Eu gostava de estar apaixonado
Agora fujo disso como o diabo foge da cruz.
Um diabo
É isso que eu sou mesmo
E o amor é a minha cruz.
Uma cruz mesmo
que eu fujo
e que eu tenho que carregar.
Era pra eu ter escrito isso pra ela.
OU pra ela
ou pra’quela outra
ou pra ela
ou pra ela
ela nem lê mais
a outra eu nem falo
eu to fugindo de todo mundo
eu to sempre em fuga
eu sempre fujo
minha terapeuta briga comigo sobre isso
todo mundo briga.
eu so queria te contar isso mesmo.
Eu gostava de estar apaixonado
eu vou fugir de novo agora e deixar essa conversa acabar aqui

Obrigado! Mas eu já tô perdido

Tempo
Gus Levy

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
exibições
294
Esse momento vai passar
Do tempo que tem pra durar
Se for só pra continuar
Nessa mesma coisa
Nessa mesma coisa de sempre

E cada coisa
Está em seu lugar
Está ficando chato de olhar
Já sei bem o que esperar
Dessa mesma coisa
Dessa mesma coisa de sempre

Não estou bem
Não estou mesmo muito bem
Certo de seja bom
Viver assim
Impossível ser forte
Sem reconhecer
O fim
Esse momento vai passar

tô cansado

Caralho. Eu tô cansado.
Desde que eu me conheço pro gente eu tô apaixonado.
E isso é um fardo.
Os últimos acontecimentos.
Os últimos dias.
As últimas semanas
Os últimos três anos.
Só foseram ainda mais.
Eu tô cansado.
E eu não consigo esquecer.
Ela cantou aquela porra daquela música.
E eu não consigo esquecer.
Caralho.
Pq.
Me deixa.
Por favor
Me deixa.
Eu.
Eu que tô errado.
Eu que sou errado.
Eu não consigo.
Eu desisto, tá.
Me deixa.
Vai embora.
Eu sou um doente.
Só me deixa.
E não volta.
Pro meu bem
Por favor.
Não volta.

As vezes eu me esqueço de umas garotas.

As vezes eu me esqueço de umas garotas.
Mas essa em particular foi esquisito
Tenho certeza que ja escrevi sobre ela e se perdeu.

A Luana foi a primeira.
Nesse relato/cronica que eu faço das minha paixonites ela é quem eu considero o primeiro “registro”.
Ela foi a primeira que eu escrevi.
Eu nunca me apaixonei veementemente por ela.
Mas foi dela o primeiro sorriso honesto por um flerte bem sucedido que eu ganhei.
Ela era dona de lindos olhos ambar.
(curiosamente a ultima era dona de lindos olhos negros, devo ter me apaixonado por todos os espectros de cores de olhos).
Nunca tinha reparado tanto no olho de alguem quanto no dela.
E particularmente os dela tinham um movimento diferente.
Era uma estabilidade linda.
Ela foi uma menina que eu viajei o suficiente pra imaginar ter uma casa, com filhos e planejar a viagem de férias.
Ela era toda linda.
A pele era morena.
O cabelo natural.
Os seios medios me deixavam bobos.

Mas isso aqui ta parecendo inicio de conto erotico.
Quando o que eu quero ressaltar nela é a segurança.
No jeito de falar, de se portar e de agir.

Lembrei da minha terapeuta agora.
Elas compartilham a mesma caracteristica.

Não lembro de muito mais coisa da Luana.
Torço pra que ela esteja bem
Saudades

eu tô bem

Eu falhei
Curti uns posts dela

— kkkk. Falei p vc bloquear

Eu não vou
Eu tô puto hoje
Tô realmente cansado de ser casado
Cansado das pessoas
E de me relacionar
Eu só fico bem quando ela dorme
E tá tudo em silenci
E eu sei que tá tudo bem
Qualquer outro momento
Meu peito fica estranho
E minhas pernas não param de se mexer
Eu tô sempre angustiado
Ansioso
Eu sou um merdinha covarde
Antes eu ainda me apaixonava por uma putinhas desgracadas
Só pra fugir de mim mesmo e dessa verdade inconveniente
De que eu tô perdido
E sou medíocre
Eu só me apaixono por putas
E por gente desgracadas da cabeça
A Maria foi a menina mais incrível que eu já conheci
Mas ela me vê com um autista retardado
Ela disse que via a gente como aquele filme Mary e Max
Eu sou a porra de um velho autista pra uma manic pixed dream girl novinha
Pra uma encarnação idealizada da Delírio dos perpetuos
Delírio que já foi deleite
Eu
Eu to..
Eu tô bem
Eu só tô louco mesmo

melancolico

Se lembra quando a gente conversava pelo Facebook?
E a gente compartilhava coisas e chamava um ao outro e dizia que sentia falta.
Agora, por aqui, a gente só se vê a distância, não se aproxima.
Até parece uma dança, daquelas antigas onde depois de passear por todo o salão, o flerte acontece cercado de pessoas.
Um simples toque na mão e o olhar no olho.

Dazed And Confused

Omg. My heart is skip beating… Or skipping beat… Or IDK im dizzed, confused, stunned

Me lembrou dela
Inclusive me deu vontade de escrever
Mas eu já me perdi, agora mesmos em uns outros sorrisos.
E em partes é isso que eu iria escrever
Que eu não queria mais ter que me perder em outros sorrisos pra me achar
Queria me perder só no dela
No sorriso,
No olhar,
Nos lábios
No caos

na minha cabeça

Você tem um outro perfil
só pra ficar vendo a distância as coisas que eu posto.
Faz isso porque tem medo de declarar um amor,
ou não quer se comprometer,
não quer ou não pode confessar
que gosta de mim.
Finge que não se importa mas tá sempre aqui e ri quando eu escrevo. Tá, não é um sorriso escancarado. É um sorriso velado. Tipo sorri com o coração, manja (acho lindo isso inclusive, de um nível de perversão excitante).
Eu acho que é confusão. Dúvida talvez.
Você sente o peito revirar porque não sabe se fala comigo porque é legal e te faz bem ou me evita, me exclui, e se afasta porque e bom mas infelizmente, momento errado.
Você olha as vezes meu perfil, abre as mensagens e fica chateada de não ter mensagem minhas dando pelo menos um oi, e pensa que voce também podia mandar mensagem dizendo oi, aí abre a mensagem e fica olhando para o cursor intermitente na tela enquanto o coração fica impaciente. Daí fecha. Fica triste e pensa: – Melhor não. Não quero atrapalhar ele. Ou bagunçar a vida dele.

Mas…
De repente…
E a realidade plausível cai de repente em cima de mim.
E eu percebo
Que isso tudo
É só na minha cabeça