voce quer me ouvir?

eu to tão chato –
chato o suficiente pra escrever isso daqui sem imaginar quem vai ler –
antes eu sempre tinha um caminho pra mensagem. tipo,
essa mensagem eu to escrevendo pra tal pessoal.
mas agora eu estou numa vibe que acho que ninguem tá com tempo ou se importando pra me ler.
eu to realmente nessa fase
sem amor…
sem paixão
por nada sabe
sabe quando as pessoas citam sua paixão pelo trabalho
por algum projeto
ou por alguem
então
eu nao to apaixonado.
tenho pessoas mais proximas.
mais do que os ultimos anos.
eu to me aproximando e conversando
mas mantendo uma superficialidade segura

"eu queria te ter aqui"

as vezes eu penso nisso

as vezes eu entendo que não
ter alguem do meu lado não faria mais diferença no estado que eu estou atualmente
eu garanti pra mim mesmo que esse seria eu
que eu manteria o maximo de esforço que eu conseguisse pra conseguir trabalhar e ser produtivo mas nunca mais ia deixar ninguem chegar perto
inclusive
me esforçaria para manter todo mundo longe
pra não sentir de mais
pra não me machucar
pra não deixar me machurarem
porque minha terapeuta diz que eu tenho que ensinar limites
mas eu acho que não adianta
dai ela me contraria
e eu nao discuto
e concordo pra ela não ficar me questionando
mas eu to num fodasse tremendo
eu estou num estagio que eu nunca vi ninguem
é uma coisa diferente de depressão
ou de melancolia
cinismo?
talvez
acho que é quase uma maturidade
uma relação com a vida adulta que eu nunca achei que teria
mas chegou
eu so um adulto padrão que so tá cansado
e nesse momento eu nao to falando do cansaço fisico, que também existe
falo do cansaço de manter algum tipo de vinculo.
eu sigo a vida continuamente e só
o que a terapia em si mais me entregou foi
me fazer parar de pensar na morte como a solução total
entender a vida com "isso ai mesmo"
e continuar
mas
eu ainda continuo sem proposito.

— aqueleseuamigo

@daqueleseuamigo

Anúncios

incubus

Contemplo o amor.


Um demonio no cio.
Designo que não é pra ninguém.
Mas o tesão sempre vem.
Quando ele bate,
Deus do céu.
Amo com a boca,
Adorando o poder de fazer contorcer.
Adorando o corpo que contorce.
Isso é amor de onde eu venho
Fazer gozar até se perder.
Se deixar levar.
Eu só quero (te)amar
daquele jeito que você acha que é pecar

desgracado

De longe ele não era a melhor foda que eu tinha dado.
De todos os outros com que eu já trepei eu o considerava mediano.
Mas como chupava bem um peito o filho da puta.
Ele realmente gostava.
Parecia que namorava o seio ao beijar.
E isso me deixa muito excitada.
De longe era o que mais me deixava com tesão ao ficar com ele.
Ele sentou na beirada da cama ainda de roupa eu me aproximei e nos beijamos.
Ele olhava pra cima com quem pede encarecidamente para algo bom do céu e eu entendi como uma prece.
Eu olhei de volta e perguntava enquanto apertava o seio

Você quer?
E ele sorriu como se tivesse ouvido as palavras mais lindas que alguém pudesse ouvir.
Eu me sentia grata.
Não pelo ato em si.
Mas eu me senti adorada.
Eu tirei minha blusa e lentamente desabotoei o sutiã.
E ele dedicava sua boca ao meu seio com tamanha devoção que me fazia sentir uma Deusa, uma Rainha sendo reverenciada pelo seu súdito.
Eu tirei o resto da roupa, calmamente enquanto ele aproveitou pra passear com sua boca pelo meu corpo.
Ele deitou na cama e eu gentilmente organizei os travesseiros para um melhor reconforto ao recostar a cabeça e ofereci meus seios para serem adorados.
Ele se excitava ao estar com eles na boca, enquanto eu sentia essa mesma boca passeando por todo o meu peito.
Ele trançou as pernas na minha e eu senti seu pau duro esfregando em mim.
Tava pouco me fodendo pra ele.
Eu queria gozar com meu peito sendo chupado e ele já sabia disso.
Ele mesmo me pediu.

Goza pra mim?
E eu acenei com a cabeça que sim.
Trocamos se posição e me apoie de barriga pra cima. Ele apoiou a cabeça sob o meio peito tentando abocanhar o meu seio enquanto mantinha contato visual.
Eu me masturbei lentamente e ainda que tivesse muito molhada quis me alongar o máximo em cada segundo dessa sessão.
Brinquei lentamente por toda a região sem pressa de alcançar um orgasmo.
Enquanto isso sua mão percorria meu corpo, e sua boca percorria meu peito.

Quando eu comecei a ficar ofegante, disse em voz alta:

Vou gozar!

E ele sugou meu peito ao mesmo tempo que me olhava nos olhos.
Gozei, com uma boca no seio no Royal de adoração mais pervertido e singelo que eu poderia imaginar.
Eu sorria.
Seus olhos me fitavam com brilho no olhar.
Quando o gesto automático de levar os dedos ao lençol ia acontecer ele bradou.

Deixa eu provar?

…?

Por favor.

Desgraçado.

Estava molhada de novo.

por inteiro

as vezes eu esqueço de me desgraçar
passo tanto tempo do meu dia tentando me normalizar que esqueço que sou todo desgraçado por dentro mesmo
faz tempo

li uma moça hoje
ler o que ela escreve foi como uma montanha russa 

so ladeira a abaixo 
mas uma montanha russa
eu acho que faz tempo que ninguem desgraçava meu peito assim
gostei.
lembrei que não to aqui pra tentar ser normal
saudades dessa sensação de querer me desgraçar
por
in-tei-ro

oi, de novo

eu sempre queria ficar escrevendo pra ela
(e fodasse o tempo verbal e regras gramaticais)
mas eu fico o tempo todo pensando no proposito das coisas e
no por que
por que eu começaria a falar com ela se não vai dar em nada
mas eu gosto de falar com ela
— minha psicologa sorriu quando me viu falando dela
como se visse em mim uma pequena chispa de esperança em ser feliz

eu gosto de como meu dia fica quando a gente se fala
mesmo não sendo nada
mas meu peito fica leve
***
eu tenho mo medo.
medo de tudo
me apegar
ela sumir
eu sentir que nada mais vai dar certo
mas as coisas não estão dando certo faz tempo
tornando tudo isso tudo um caos em forma de pessoa.
* * *
eu tinha esquecido o quanto eu gosto de mim quando eu escrevo assim
e é exatamente por isso que eu gosto dela.
mas é chato gostar e ter medo de falar
mas é legal gostar

“Em última análise, precisamos amar para não adoecer.”
FREUD

segue resposta

eu fiquei um tempão tentando achar um jeito simples de contar uma historia que parece complexa.
sem tantos pormenores.
dai percebi que a história, talvez, só seja complexa na minha cabeça
a gente se conheceu num acampamento da igreja.
ficamos conversando um tempão até que ficamos.
depois continuamos ficando.
depois a gente se apaixonou.
e a gente continua ficando.
ate hoje.
pelo menos pra mim.