eu tô bem

Eu falhei
Curti uns posts dela

— kkkk. Falei p vc bloquear

Eu não vou
Eu tô puto hoje
Tô realmente cansado de ser casado
Cansado das pessoas
E de me relacionar
Eu só fico bem quando ela dorme
E tá tudo em silenci
E eu sei que tá tudo bem
Qualquer outro momento
Meu peito fica estranho
E minhas pernas não param de se mexer
Eu tô sempre angustiado
Ansioso
Eu sou um merdinha covarde
Antes eu ainda me apaixonava por uma putinhas desgracadas
Só pra fugir de mim mesmo e dessa verdade inconveniente
De que eu tô perdido
E sou medíocre
Eu só me apaixono por putas
E por gente desgracadas da cabeça
A Maria foi a menina mais incrível que eu já conheci
Mas ela me vê com um autista retardado
Ela disse que via a gente como aquele filme Mary e Max
Eu sou a porra de um velho autista pra uma manic pixed dream girl novinha
Pra uma encarnação idealizada da Delírio dos perpetuos
Delírio que já foi deleite
Eu
Eu to..
Eu tô bem
Eu só tô louco mesmo

Anúncios

melancolico

Se lembra quando a gente conversava pelo Facebook?
E a gente compartilhava coisas e chamava um ao outro e dizia que sentia falta.
Agora, por aqui, a gente só se vê a distância, não se aproxima.
Até parece uma dança, daquelas antigas onde depois de passear por todo o salão, o flerte acontece cercado de pessoas.
Um simples toque na mão e o olhar no olho.

Dazed And Confused

Omg. My heart is skip beating… Or skipping beat… Or IDK im dizzed, confused, stunned

Me lembrou dela
Inclusive me deu vontade de escrever
Mas eu já me perdi, agora mesmos em uns outros sorrisos.
E em partes é isso que eu iria escrever
Que eu não queria mais ter que me perder em outros sorrisos pra me achar
Queria me perder só no dela
No sorriso,
No olhar,
Nos lábios
No caos

na minha cabeça

Você tem um outro perfil
só pra ficar vendo a distância as coisas que eu posto.
Faz isso porque tem medo de declarar um amor,
ou não quer se comprometer,
não quer ou não pode confessar
que gosta de mim.
Finge que não se importa mas tá sempre aqui e ri quando eu escrevo. Tá, não é um sorriso escancarado. É um sorriso velado. Tipo sorri com o coração, manja (acho lindo isso inclusive, de um nível de perversão excitante).
Eu acho que é confusão. Dúvida talvez.
Você sente o peito revirar porque não sabe se fala comigo porque é legal e te faz bem ou me evita, me exclui, e se afasta porque e bom mas infelizmente, momento errado.
Você olha as vezes meu perfil, abre as mensagens e fica chateada de não ter mensagem minhas dando pelo menos um oi, e pensa que voce também podia mandar mensagem dizendo oi, aí abre a mensagem e fica olhando para o cursor intermitente na tela enquanto o coração fica impaciente. Daí fecha. Fica triste e pensa: – Melhor não. Não quero atrapalhar ele. Ou bagunçar a vida dele.

Mas…
De repente…
E a realidade plausível cai de repente em cima de mim.
E eu percebo
Que isso tudo
É só na minha cabeça

Nunca é sobre o amor, é sempre sobre o conflito

Saudades de escrever pra ela…
Mentira
Tento saudades só do que rua sentia.
Tá bom
Mentira
Hoje eu vi um post e pensei em mandar pra ela
Mas daí ela vai achar que eu quero voltar a falar com ela e ela vai me ignorar
Ou vai responder e eu vou achar que ela quer voltar a falar comigo e eu vou ficar feliz, depois ela vai embora.

Que bosta
Maldita neurose
Hahaha
Mas eu digo que é legal sentir esse ‘amorzinho’ esquisito.
E saber que a pessoa te deixa meio variada da cabeça.

Eu sei
Eu já sou variado da cabeca
Hahaha
Mas é isso né
Nunca é sobre o amor, é sempre sobre o conflito
O amor em si é gostosinho.
rs

Ahhhhhh, nossa, desculpa, eu tinha esquecido de perguntar. Posso te encher o saco com meus textos por aqui?

Foi lindo

Tinha uma moca, no trabalho, quando eu ainda era novinho.
Primeiro trabalho.
Ela morava perto de casa e me dava carona.
As vezes ela fazia umas piadas de duplo sentido.
Uma vez no carro, ela começou a me indagar sobre namoradas e sobre sexo.
Eu não respondia, era bem timido.
Ela insistia.
Perguntou se eu ja tinha feito sexo
e se alguem ja tinha me chupado.
Disse que, não.
Ela insistiu.
Ficou impressionada.
Continuei dizendo que não.
Ela disse que gostava.
Mas o marido nunca deixava ela terminar.
Eu fiquei em silencio.
Gelei.
Na hora eu nao pensei em muita coisa.
Era virgem mesmo e não sabia reagir nessa situação.
Ela me perguntou se eu não tinha curiosidade…
Eu não respondi
O tom de voz dela tinha mudado.
Agora, uma conversa descontraida, tinha mudado o tom para quase uma confissão.
Ela disse que estava tudo bem, ela faria, se eu quisesse saber como era.
A unica condição era eu deixar ela fazer até o final.
Eu não respondi.
Moravamos perto.
O carro continuou.
Ambos em silencio.
A umas duas quadras da casa dela, em uma rua no bairro, menos movimentada, ela para.
Ela me olha e diz que está tudo bem.
Chega com a mão sobre a minha calça.
Acaria meu pau.
Eu estava morrendo de tesão.
Mas nervoso, bem nervoso.
Ela elogia.
Acho que so pra quebrar o gelo e tentar me deixar menos nervoso.
Alisa meu pau por cima da calça e leva a mão até o botão.
Abre.
Move o tecido da cueca da frente e expoe ele inteiro pra fora.
Estava olhando no rosto dela.
Deu pra ouvir a lufada de ar que ela deixou escapar com um arfar.
Não foi alto.
Mas a quantidade de adrenalidade no ar
e no nosso sangue naquela hora faz tudo ficar mais alerta, todos os sentidos.
Ela tocou meu pau, agora sem a proteção do tecido.
Pude sentir a pele gelada da mão dela apertando gentilmente.
Enquanto descia e subia.
Num movimento que com certeza ela conhecia.
Ela me olhava nos olhos.
Eu olhava de novo.
Ela não esbocou nenhuma reação antecipada.
Apenas desceu a cabeça e abocanhou com gentileza meu pau.
A primera bocada ela engoliu ele por inteiro fazendo questão de deixar ele babado.
Na continuação ela focou em sugar com força a cabeça do meu pau enquanto alternava o subir e descer da cabeça e o movimento das mãos.
Eu…
Eu não durei muito.
É obvio.
Logo eu respirei fundo e sentir meu corpo inteiro tremer.
Parecia que eu ia implodir.
Eu nem sabia o que fazer.
Mas ela falou que era pra ir até o fim.
E que não era pra eu me preocupar.
Eu so deixei.
Ela levantou.
Eu não vi o que restou da porra.
Quando eu me masturbava meu pau ficava melado.
E agora meu pau saiu melado da saliva dela.
De um jeito esquisito eu achei que ele ficou mais bonito assim.
Me olhando meio de lado, talvez com um pouco de culpa, ela limpou a boca da saliva e talvez do medo de ter restado um pouco de porra.
Fiquei olhando ela.
Se recostar no banco do carro.
Eu lembro claramente dessa cena.
Eu nunca vou me esquecer.
Eu nunca vi ninguem entrar em transe por estar com gosto de porra na boca.
Nao igual à ela.
Ela se recostou no banco.
E ainda com a boca meio melada de porra,
de quem fez questão de não engolir tudo.
ela sorvia o restante do semen que restou na boca dela
enquanto a mao descia pra dentro da calca.
e se masturbava.
E eu
Ali
Sentado
Com o pau ainda pra fora, assistia uma mulher de meia idade se masturbar com a porra de um recem adulto na boca.

Eu peguei carona com ela outras vezes
Ela sempre oferecia carona e sexo oral.
Era lindo
mas eu nunca vou esquecer desse dia.
Desse primeiro dia.
Foi lindo.